terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Minha derrota para você



"...e que os jogos comecem!" parece uma frase clichê dessas que a gente ouve em filmes, mas posso jurar que é o que eu escuto quando você olha para mim com o olhar de te-quero-aqui-e-agora. É um olhar dominador, que me prende e me desafia. Me sinto completamente exposta, porque sei que estou na sua mira. De novo.

A perseguição começa, seus abraços ficam mais apertados, seus olhos me vigiam famintos e os beijos na bochecha são dados no lugar errado. E de repente meu corpo não pertence mais a mim, sei que é todo seu. Cada célula minha concentrada em um único objetivo: atrair você.

Vejo os seus braços insistirem em ficar em volta de mim, suas mãos procuram qualquer motivo para me tocar, encontrando repouso em qualquer parte do meu corpo que esteja em seu alcance e permanecem ali por mais tempo que o necessário. Seu toque é quente e viciante. A ausência dele me faz sentir frio, como se nunca mais fosse ver o sol. Me arrepia e me faz suspirar sozinha a noite, pensando em quando vou sentir isso de novo.


Então seu cheiro fica mais forte para mim. Consigo senti-lo à distância. Fica no ar depois que você passa por mim. É um veneno que faz meu corpo inteiro precisar de um antídoto que só pode ser você. É como se houvesse uma corrente invisível que me prende a você.Não consigo fugir. Me torno uma prisioneira e a minha pena é querer você.

Me sinto perdida. Tento fugir e obedecer a razão, mas aquela vozinha dentro de mim que não se importa com o perigo das coisas, manda ela calar a boca e fica lembrando-a que ela gosta até demais disso. E as duas tentam me convencer, fazendo os sinais da minha luta interna aparecerem, dando a você aquele sorriso de satisfação que conheço tão bem.

Mordo a boca e você olha para mim com um olhar vitorioso, enquanto a minha perna balança, em um sinal claro da minha preocupação, vejo você assistir a cena, como se fosse a coisa mais legal que você poderia presenciar. Parece saber que você venceu e que não tenho para onde ir, porque você vai me achar. O que me faz pensar se eu quero que você pare, porque não sei se não gosto disto.

Enquanto meu coração bate descompassado você chega perto de mim com perguntas mudas nos olhos. Minha mente fica vazia e quando dou por mim estou me perdendo de novo para você. Percebo em algum lugar no meu cérebro que não há mais nada que eu possa fazer por mim, porque já sou sua. E é óbvio que você sabe disso.


Thalyne Carneiro
Postar um comentário