terça-feira, 17 de setembro de 2013

Minha Maior Confissão!!

O que posso dizer?
Fui egoísta!!
Me preocupei mais com a possibilidade de um coração partido do que com o suporte que você, muito provavelmente, estava (está?) precisando.
Em vez de te dizer: Hey, estou aqui para você no que precisar, nem que seja para sentarmos juntos no escuro e não fazermos nada além de respirar.
Eu acabei dizendo: Então, ficar em cima do muro com você foi bom, mas não dá mais.
De qualquer forma sua resposta disse que eu estava, provavelmente, certa, você não estava pronto, talvez nem eu estivesse, mas a questão é que fui covarde, preferi arruinar tudo o que poderia ter sido só porque fiquei com medo do seu não, mesmo que no final das contas tudo o que você disse foi que não sabia o que queria no momento...
Acabei te ajudando nessa parte não é? Retirei toda a sua chance de decisão!!
Lamento por isso.
Será que eu deveria te dizer que em todo esse tempo eu pensei em você?? Até nas menores coisas, por exemplo, quando eu via alguma piadinha sobre engenharia? Ou quando na aula de dança tinha um menino que fazia uns passos parecidos com os seus?
Ou quando comia um doce, um cupcake que fosse, sendo você essa formiguinha que é? Engraçado que consigo rir disso sem realmente ver a graça, não consegui realmente esquecer alguns detalhes, se bem que eu nem queria (quero!) esquecer.
Fico me dizendo que apesar de tudo tomei a decisão certa, eu estava gostando de mais de você, e isso estava me consumindo, pois eu percebia que era mais eu pra você do que você para mim.
O pior de tudo: esses dias estava pensando em como comemoramos seu aniversário, e fiquei triste em constatar que não lembro a data e ainda mais por não saber se posso realmente lhe perguntar.
Você percebeu que há um monte de dúvidas acerca de minha decisão? Se foi precipitada ou não, se foi acertada ou não, se foi necessária ou não. Essas dúvidas são bem egoístas também, pois sinto sua falta, sinto falta de dizer seu nome e de ouvi-lo dizer o meu, nem lembro mais como você dizia o meu, de passarmos bons tempos juntos, também sinto falta das risadas que dávamos, ahhh os beijos.
Bem sei que não prometemos nada um ao outro, sei também que não posso exigir nada de você. Só queria dizer claramente que sim, estou aqui para o que precisar, talvez com algum egoísmo, mas prometo não exigir nada de você, se bem que a mente geralmente trabalha sozinha.
Claro, que não me importaria se algumas das minhas duvidas fossem sanadas, e melhor ainda, se por mais que eu abomine a ideia de estar errada, nesse caso eu estivesse realmente equivocada em ter me afastando por achar que você não me corresponderia!! Você me responderia isso?
Já pensei em excluir diversas vezes esse texto idiota, só porque ele fala verdades de mais, ele me deixa vulnerável e insisto em dizer que acredito que “amar não vale o sofrer não, o verbo amar a razão rejeita” **.
 Droga, mais uma vez essa estupida insegurança, a verdade é que eu estava muito perto de me apaixonar e fiquei com muito medo de ser rejeitada para me arriscar!!

Ainda tenho medo que nossas conversas recém-resgatadas sejam o preço de tentar ser ousada com essa admissão tão custosa.

** sim estou citando uma música da Disney do filme Hércules.


Anne Rangel
Postar um comentário