sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Como será?




O que nos espera no futuro?

 Paixão, indecisão?
Rupturas, novidade?
Sol, chuva?
Luz, escuridão?


O que devemos esperar?

Felicidade, compreensão?
Mágoa, alucinação?
Expectativas, por que não?
Decepções, escorregão?

Tempo...

O tempo passa,
Você cresce
E amadurece.

O tempo para,
Quando você
Sorri e resplandece.

O tempo chora,
Quando você cai
E se machuca.

O tempo se ilumina,
Quando levanta e
Sai correndo por aí.


Tempo...
É quando o sol
Aparece e torna
A partir.

É só o ponteiro
Do relógio indicando
Um número aqui e ali.

É uma desculpa
Para fugirmos:
“estou sem tempo!”...

E deixamos de
Ver as coisas
Mudarem...

Deixarmos de nos
Observar
E amar...

E deixar nosso pobre coração
Sentir ligeiro,
O que nossos olhos quase
Não vêem sorrateiros.

Não podemos

Não posso
Mudar
O que sou...

Não pode deixar
De ser
Quem você é.

Nos conhecemos,
Dificuldades vencemos,
E juntos amamos.

Mas isso não
Muda a
Realidade,

Vivemos em mundos diferentes, paralelos um do outro.


Teremos que suportar,


Cada um em sua própria realidade
Com a metade que lhe cabe.

Com a tristeza
De conhecer o amor
E não poder vivê-lo!

Anne Rangel.... para Lyra e Will

                  
Postar um comentário