quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Todo amor que houver nessa vida (pra nós)


Dizem que quando a gente ama, não importa o tempo, a distância, ou se deu ou não deu certo de primeira, quando é pra ser, o amor não morre, ou se preciso, começa de novo. Não que se esqueça o que passou, não que dê para mudar o passado. Mas parece que algumas coisas da vida, quando são para permanecer, não morrem. Chame de destino, sorte, vontade de Deus, do que quiser. Mas quando é pra dar certo, até quem atrapalha, ajuda.

Não é por escolha que tudo começa de novo. Você tá ali, calmo, tranquilo e de repente a pessoa volta. Não necessariamente com um pedido de casamento. Só pergunta se tá tudo bem, o que você tem feito, por onde tem andado. E aí um botãozinho lá dentro liga e de repente você se toca daquela falta que a pessoa te faz. Não é carência. Você até tava bem, dando uns beijinhos aqui e ali. É só... saudade.

E foi isso que aconteceu com a gente. Eu tava tranquila, você tava tranquilo. Nossa amizade nunca morreu. Não sei explicar como, de repente eu só queria estar mais perto que o normal. E o mais gostoso é que foi como começar do zero. São convites pra sair, frio na barriga com suas mensagens, não saber o que dizer e tudo dar errado e esperar calmamente o tempo passar e o que tiver que acontecer, acontecer. Não tem expectativas, só surpresas.

Tem gente que acha loucura dar mais uma chance pro mesmo amor. Eu não. A verdade é que eu nunca deixei de te amar. Pensei que sim, mas percebi que eu tinha que me amar primeiro. Crescer mais um pouco, sabe? A gente se conheceu muito novo, se amou muito novo. Tive que deixar de ser menina pra perceber que você queria uma mulher. Não que esse tenha sido o nosso problema. Mas o amadurecimento realmente nos caiu bem.


 Hoje, sem medo nenhum, quero te ver só mais uma vez. Te amar só mais uma vez. Larguei o medo e fui tentar ser feliz de novo. E se for pra ser do seu lado, melhor ainda. Hoje só quero desejar tudo que haja de melhor para nós. Que haja cumplicidade, afeto, companheirismo... e amor. Muito amor. Amor que preencha e transborde. Amor que não caiba em mim e me faça querer dividir, com você e com o mundo inteiro.

Dessa vez, só quero que a gente dê certo. E pode ir nesse ritmo lento que você me leva, nem vou te cobrar nada ou te pressionar a ficar comigo. Sei que no fundo você só quer ter certeza. Escolhe direitinho, meu amor. Estou aqui por você e te quero do meu lado. Mas não demora não, dizem por aí também que a vida é breve e o amor mais breve ainda.

Thalyne Carneiro

Postar um comentário