quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Isso eu não digo pra você


A dor chega avassaladora. Meu peito dói, meus olhos enchem de lágrimas e me sinto impotente. Mais uma vez. Já estou bem melhor que antes. O incômodo da sua ausência, antes tão persistente, quase passa todos os dias. Juro que tem dia que consigo não sentir sua falta às vezes.

Eu entendendo perfeitamente que esse buraco que você deixou no meu peito não é culpa sua. Você nunca disse que ficaria. Eu é que queria tanto que você ficasse, que achei que você não iria embora. Deixei você se acomodar dentro de mim sem te perguntar nada e agora tô pagando por isso.

Sei, mesmo de um jeito meio estranho, que você está feliz agora e eu nunca te pediria para abrir mão da sua felicidade para alimentar a minha. Mesmo que você atendesse ao meu pedido, doeria em mim ver você sofrer e eu não suportaria isso. Ver você sorrir torna a minha dor mais tolerável e é o que me faz querer ir para frente e te deixar para trás.

Se eu pudesse fazer só mais um pedido, eu pediria para que você ficasse só mais uma vez. Mesmo que só por uma noite, mesmo que só por um dia, que você me fizesse sua. Quero de novo sua mão na minha e meu corpo junto do seu. Quero de volta nossos olhares lascivos e seu sorriso de canto depois de uma provocação. Quero seus braços na minha cintura e sua testa encostada na minha.

Se não fosse pedir demais, queria mais das suas palavras sussurradas no meu ouvido e dos seus apertões na minha coxa. Mais da sua risada depois de uma pergunta idiota minha e da sua piscadinha  para eu te dar língua, enquanto você me diz que “quem dá língua pede beijo”. Quero passar horas conversando com você e não ver o tempo passar.


Quero passar a mão no seu cavanhaque - que agora você nem tem mais - encostar minha cabeça no seu ombro e te contar o que eu não digo para mais ninguém. Quero sentir meu corpo inteiro se arrepiando só de ouvir sua voz e me coração acelerado só de você me beijar de levinho. Mais um beijo seu no meu pescoço e sua mão tirando meu cabelo do olho com carinho.

Não sei o que me dói mais, se é não ter você ou a falta desses detalhes de nós dois. Eu não vou implorar para você voltar e vou continuar fingindo que não dói nadinha a sua ausência. Sou sua amiga acima de tudo e se o preço que preciso pagar é botar um sorriso no rosto e fingir que tá tudo bem, eu vou fazer. Ontem quase passou. Quem sabe um dia não passa por inteiro.



Thalyne Carneiro
Postar um comentário