segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Clichê para nós


"Casa comigo?" Ele me pergunta todo dia e me faz dá risada que nem uma boba, mas adorando a pergunta dele. Enquanto ele me observa ri que nem uma criança num balanço, ele sorri e repete a pergunta, avisando que tá falando sério, porque nosso namoro é sério. E isso só me faz rir ainda mais, porque fico pensando quem é louco suficiente para querer casar comigo.

A mão dele na minha cintura e a minha no pescoço dele. A barba dele no meu pescoço e meus pés sobre o meio fio pra completar a altura que falta. São os nossos detalhes bobos que nos tornam quem somos e contribuem para sermos felizes. É o beijo no queixo e nossas pernas entrelaçadas nas tardes de domingo. É minha mão na sua e meu sorriso bobo no meio de tantas mensagens trocadas por dia.

Até nossas discussões por sermos diferentes são divertidas e ceder virou nossa palavra de ordem para tudo dar certo. Desentendimentos são normais, mas ambos sabemos que a vida é muito curta para ficar brigando e simplesmente não vale a pena gastar tanto tempo com raiva um do outro. E sinceramente, mesmo se brigássemos tanto quanto outros casais, não sei se conseguiria ficar brava e emburrada por tanto tempo. 

Ter ele do meu lado faz qualquer programa ser divertido. Acho que se ele me acompanhasse até em um jantar no lar dos idosos, riríamos até chegar às lágrimas de alguma piada horrível que inventaríamos. E quando eu menos esperasse, já ia tá ele lá socializando com algum velhinho mineiro, discutindo quem é melhor: o Cruzeiro ou o Atlético Mineiro, todo à vontade, como se o conhecesse há anos.

Ele nem sabe, mas são essas coisas me fazem se apaixonar por ele todos os dias. É a disposição dele para brincar com crianças, é a mania de me largar por uns minutos para virar o melhor amigo do meu irmão. É a ajuda que ele dá para o meu pai na hora de carregar coisas pesadas e o fato de ele elogiar tudo que eu cozinho pra ele. É o casaco emprestado nas noites frias e os abraços pela cintura quando eu menos espero. Até o eu te amo sussurrado me transformam numa adolescente de novo e me derretem de tanto amor.


A nossa felicidade é tanta, que tudo que eu queria nessa vida é que as pessoas pudessem ter relacionamentos assim. Ter um parceiro para resolver os problemas, namorar um pouquinho e até para jogar conversa fora numa mesa de bar. Alguém para amar e querer passar o tempo todo junto. Porque isso que nós temos me faz acreditar que seja possível ser feliz para sempre, que o amor pode te acompanhar até o túmulo, mesmo que seja o maior clichê de todos os tempos.


Thalyne Carneiro



Postar um comentário