quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O tal do amor próprio


Sorriso no rosto e cantarolando pela rua. É assim que as pessoas que tem me visto por aí ultimamente me encontram. Não, não é um amor novo, roupas novas, sapatos novos ou qualquer outra teoria da conspiração que as pessoas têm para mulher andar sorrindo na rua. É apenas felicidade.


Sim, felicidade. Tenho uma vida maravilhosa, amigos maravilhosos, uma família que eu amo muito, faço o que gosto na minha vida e acima de tudo: amor próprio, que aliás, todo mundo deveria ter.

Tenho um orgulho gigante de ser quem eu sou. Claro que como todo mundo, às vezes me olho no espelho e penso: “Caramba, cabelo. Tem como ficar pior?” Mas não tem como você sair de casa todos os dias com uma aparência impecável. Isso não é humano. Mas mesmo assim, eu me amo.

Gosto dos meus cachos, mesmo que tenham vida própria, da minha altura, e do meu corpo, mesmo que atualmente tenho ido para a academia e começado a fazer dieta. Acho que a vida é muito curta para não gostar de quem somos, afinal, você não é a única pessoa no mundo a quem é obrigado a gostar para sempre?

Amar as outras pessoas é importante. Com toda certeza, ninguém vive sozinho. Mas como você pode sair por aí amando todo mundo se você não consegue gostar nem de você? E aí é que entra o tal do amor próprio. Pessoas que não perdem tempo tentando mudar o que não se muda (a não ser que tenham muito dinheiro) são pessoas muitíssimo mais felizes, porque começam a enxergar o mundo de um jeito bem mais bonito e agradável.

Então, ao invés de ficar o tempo inteiro se lamuriando do jeito que você é por aí, dê um sorriso e comece a amar a pessoa no mundo que mais importa: você mesmo. Não importa se você é alto, magro, baixo, gordo ou simplesmente não tem um cabelo “da moda”, ame e cuide de quem você é. E no final, vai perceber que a gente só gosta mesmo é de fazer tempestade em copo d’água. Só isso. Ser diferente dos outros não é ruim. E como já disse a Pitty: "O importante é ser você, mesmo que seja estranho"


Thalyne Carneiro


3 comentários:

Mikaele Magalhaes disse...

Adorei o texto amiga, seja você, mesmo que seja estranho seja você, mesmo que seja bizarro bizarroo...

By. Mikaele

Mikaele Magalhaes disse...

Adorei o texto amiga.

By. Mikaele

Thalyne Carneiro disse...

Obrigada, meu bem! *------*